Desenvolvido por Levant Consultoria de Marketing

www.levantmkt.com

Avenida Almirante Barroso, 1454 - Marco, Belém - PA

E-mail: sbotpara@gmail.com
Tel: 091 - 3084-3000

XVI Congresso Norte e Nordeste de Ortopedia é aberto no Hangar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Com o tema “Acidentes de Moto: Trauma Ortopédico e Impacto Social”, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia promoveu na sexta-feira, 17 de outubro, a abertura da décima sexta edição do Congresso Norte e Nordeste de Ortopedia e Traumatologia do Pará, em Belém, no Hangar Centro de Convenções da Amazônia. Até domingo (19) cerca de 500 especialistas de todo o país, especialmente das regiões norte e nordeste, autoridades do poder público do estado, pesquisadores, acadêmicos de saúde participam de ampla programação científica, que tem como objetivo elaborar soluções com o intuito de minimizar as ocorrências de acidentes de trânsito, e promover a melhoria da qualidade do atendimento ortopédico.

 

O evento inclui mesas-redondas, palestras, apresentação de trabalhos acadêmicos e conferências de profissionais de referência regional e nacional. Além dos ortopedistas membros da Sbot-Pa foram convidados para ampliar o debate, o Prof. Dr. da USP de São Paulo, Dr. Luiz Kimura e o representante nacional da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, Dr. Edilson Forlim. Mototaxistas e moto entregadores também foram mobilizados a participar da programação do congresso.

 

“São ocorrências que preocupam a classe medica, principalmente por levar dezenas de pessoas a óbito todos os dias. Entre outros problemas está a gravidade dos traumas, que podem levar a inúmeras sequelas, o afastamento das pessoas de suas atividades normais por pelo menos dois anos, a superlotação das redes públicas de saúde, como também o elevado custo de internações por esse tipo de acidente”, destacou o presidente do congresso, o ortopedista Bruno Brasil.

 

Paralelo aos debates, a indústria farmacêutica e empresas de serviços ortopédicos expõem os mais sofisticados produtos e equipamentos para os tratamentos das lesões traumáticas. A programação incluiu também a apresentação de mais de 60 trabalhos científicos de acadêmicos de saúde de várias universidades, durante sessões orais e E-Pôsteres. 

 

De acordo o secretário estadual de saúde, Hélio Franco, um dos palestrantes do congresso, no ano passado foram registrados em todo o estado cerca de 4 mil mortes no trânsito. “Neste período, 521 pessoas se envolveram em acidentes de motocicletas. São números alarmantes, e que tem gerado uma grave crise social em todo o país, por comprometer a vida de muitas pessoas”, destacou o secretário.

“São dados que preocupam a classe médica, sobretudo, pela gravidade dos traumas desse perfil de paciente, que podem levar a inúmeras sequelas, o alto custo desses pacientes, assim como também a superlotação das redes públicas de saúde”, destacou o presidente do congresso, o ortopedista especialista em coluna, Dr. Bruno Brasil.

 

Ao final do primeiro dia do evento foi apresentada uma da carta do fórum à sociedade, com contribuições dos especialistas aos órgãos competentes do estado, visando minimizar o número de vítimas no trânsito.

 

A atração fora à parte no segundo dia do encontro, sábado (18), foi a simulação de um resgate aéreo realizado pela equipe de socorristas do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu), por volta das 12h, em frente ao Hangar. A ação foi acompanhada por centenas de congressistas, que puderam acompanhar a retirada do paciente vítima de um grave acidente de moto. “A ideia é chamar a atenção da sociedade para a gravidade dos acidentes, bem como os riscos e as dificuldades em que são acometidos os pacientes", destacou o diretor do Samu, o traumatologista José Guataçara, coordenador da ação.

 

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - do Regional Pará - o cirurgião Rui Barros, o evento, sem dúvida, é uma excelente oportunidade para promover a melhoria da qualidade do atendimento ortopédico no país. “Sobretudo discutir o aperfeiçoamento dos tratamentos ortopédicos e promover a aplicação das melhores evidências científicas, em benefício dos acidentados”, destacou.